Gamescom 2022 – Impressões de jogos indie (parte 1)

Apesar de as criações da Nintendo não terem marcado presença na edição de 2022 da Gamescom isso não significa que não se encontrassem propostas para a Nintendo Switch, um dos sistemas mais vendidos do mundo. No maior festival de videojogos do mundo, naquela que foi a sua primeira edição presencial desde o início da pandemia, encontrámos alguns títulos “indie” cheios da criatividade e engenho que caracterizam muitos dos jogos vindos de criadores independentes. Entre os jogos disponíveis para experimentar na Nintendo Switch, destacamos os seguintes.

Beermaster: Beer Brewing Simulator

Não há muitos jogos feitos especificamente a pensar nos apreciadores de cerveja mas Brewmaster: Beer Brewing Simulator tenta preencher esta lacuna. Este título da britânica Auroch Digital e que vai chegar à Nintendo Switch pela mão da FireShine Games põe o jogador a produzir a sua própria cerveja, com um autêntico guia para os passos mais importantes do processo – a escolha dos ingredientes e a sua quantidade, o tempo de fermentação, a água, etc., são fatores à nossa disposição e cada passo é devidamente explicado. O produto final depende inteiramente do que fizermos nos passos anteriores e quando chega a hora de degustar a nossa cerveja somos devidamente avaliados. Pela positiva destaca-se a abordagem a um tema muito pouco tocado pelos videojogos e às explicações abundantes, ainda que por vezes algumas ações pareçam desnecessárias: uma vez que não se trata de um jogo de aventura, não deveria ser necessário caminhar em direção ao frigorífico ou ao armário para ir buscar ingredientes mas o jogo considera que sim, e algumas ações dão a impressão de estar a mais. Os intervalos de tempo serão trabalhados, de acordo com a editora, o que é bem-vindo uma vez que a demo experimentada na Gamescom 2022 apresenta alguns tempos mortos que poderiam facilmente ser saltados para maior conveniência do jogador. Já quanto ao ambiente gráfico, não se espera um mundo luxuriante mas o minimalismo simplista acaba por em alguns locais lhe dar um aspeto um pouco despido. Apesar de tudo, o tema é interessante e as melhorias prometidas podem fazer de Brewmaster: Beer Brewing Simulator um candidato razoável a uma boa experiência pouco comum no mundo dos videojogos. Ainda sem data concreta de lançamento, deverá chegar à Switch durante o outono de 2022.

Coffee Talk Episode 2: Hibiscus and Butterfly

Sequela de um “visual novel” de 2020 onde o jogador entra em múltiplos diálogos com personagens bastante idiossincráticas e peculiares enquanto lhes prepara cafés (embora haja quem lhe chame um “simulador de conversa”), este segundo episódio de Coffee Talk regressa a um ambiente visual “pixel art” num mundo muito semelhante ao nosso mas com algumas diferenças, a começar pelas pessoas que nele habitam. As respostas do jogador, que encarna um barista de um café discreto aberto apenas durante a noite, e a nossa competência em preparar as bebidas que os clientes pedem vão influenciar o desenrolar do enredo, enquanto o comentário ao mundo atual se encontra vivo sob a forma de críticas à dependência das redes sociais. A demo disponível na Gamescom 2022 dá-nos um cheirinho do que podemos esperar, e Episode 2: Hibiscus and Butterfly é muito apelativo para os momentos em que procurarmos uma experiência menos frenética mas nem por isso mais simples – afinal, podemos vivenciar experiências complexas de várias formas – e conhecer personagens invulgares mas nem por isso menos humanas. Esta obra do estúdio independente indonésio Toge Productions chega à Nintendo Switch no início de 2023.

Dorfromantik

Há jogos que simulam o desenvolvimento e gestão de cidades, de impérios, de edifícios, de quintas, e de praticamente tudo o que se consegue colocar num jogo. Dorfromantik simula um bioma, e não toca nos aspetos da gestão do dia-a-dia, Dorfromantik tem mais em comum com “puzzles” em torno da envolvência paisagística do que com a simulação e gestão propriamente ditas. Como funciona? Vamos criar biomas colocando uma série de unidades hexagonais que representam ambientes diferentes – floresta, rio, via férrea, cidade, campo agrícola, campo vazio. O objetivo é realizar um posicionamento de hexágonos capazes de criar um bioma o mais harmonioso possível. Somos recompensados com mais pontos se realizarmos uma combinação mais propícia – por exemplo, habitações ao lado umas das outras ou uma mancha contínua de floresta. Contrariamente à maioria dos jogos de gestão e simulação – coisa que Dorfromantik não é, como já dissemos – o propósito aqui não é o crescimento competitivo per se mas sim posicionar o número limitado de hexágonos que o jogo nos concede da melhor maneira possível de forma a obter mais pontos. Dorfromantik dispõe também de um modo livre que permite aos jogadores uma maior criatividade com os seus biomas. Com a sua capacidade de nos atrair de forma quase imediata e de nos manter atentos ao que podemos fazer, Dorfromantik do estúdio independente alemão Toukana Interactive tem todo o aspeto de ser uma muito boa aposta na Nintendo Switch, onde se vai estrear a 29 de setembro deste ano depois de já ter entrado no mercado dos PC há quatro meses.

Fall of Porcupine

Fall of Porcupine é uma obra muitíssimo interessante e com uma demo muito abrangente. Tratando-se de um jogo de aventuras com uma jogabilidade simples, onde a nossa personagem vai de um ponto a outro com algumas escolhas pelo meio, Fall of Porcupine desenrola-se numa pequena cidade moderna fictícia onde desempenhamos o papel de Finley, um jovem médico recentemente contratado pelo hospital local. No papel de Finley vamos descobrir um enredo surpreendente capaz de evocar sentimentos enternecedores e perturbadores, e onde as nossas ações vão do mais mundano ao mais profundo, e onde descobrimos que por baixo de uma fachada de simplicidade há implicações muito mais inquietantes. Nota digna de registo: ao contrário de muitos jogos que contornam temáticas relacionadas com a saúde (física e mental), Fall of Porcupine não tem medo de lhes pegar e de as chamar pelos nomes. Destaque também para a simbiose entre o enredo e a direção artística, muito evocativa do ambiente asséptico de um hospital e de uma pequena cidade sem muitos pontos que sobressaiam. Fall of Porcupine da alemã Buntspecht.Games ainda não tem uma data de lançamento específica mas deverá chegar à Nintendo Switch durante o primeiro semestre de 2023.

Flying Neko Delivery

Parte de um segmento de jogos mais simples e descontraídos, Flying Neko Delivery do estúdio canadiano Fractal Phase propõe um conceito bastante acessível: um gato recentemente admitido na academia de bruxas vai realizar entregas na sua vassoura voadora a uma série de personagens pelo mundo do jogo. Sem uma componente competitiva, Flying Neko Delivery centra-se na experiência de voo simples sem possibilidade de acidentes ou de perdas, na construção de relações com as personagens a quem entregamos encomendas, e na personalização dos nossos elementos, tudo isto com um ambiente gráfico bastante colorido. Feito a pensar num público-alvo potencialmente mais novo ou que não procure uma experiência mais agressiva, Flying Neko Delivery acerta nas linhas gerais do que pretende fazer, embora se notem algumas imprecisões nos controlos que por vezes tornam difícil realizar movimentos de curta distância e nos obrigam a mover várias vezes para termos uma posição mais específica. Flying Neko Delivery chega à Nintendo Switch no final de 2022.

João Dias

Apreciador de jogos de outras épocas, não diz que não a uma boa obra dos nossos tempos. Diz-se que é por ele que passam os textos antes da publicação, o que significa que é uma espécie de boss final da escrita para os outros membros da equipa.