Hotel Sowls – Análise

As aventuras “point and click” tiveram a sua era dourada no período que medeia entre o final dos anos oitenta e o final dos anos noventa, onde clássicos como King’s Quest e Monkey Island fizeram as delícias de muitos. Nos nossos dias já não se trata de um género tão presente como no final do século XX mas a década presente ainda nos trouxe alguns bons representantes, como o “remaster” de Day of the Tentacle. Hotel Sowls é um jogo indie que encaixa no mundo das aventuras “point and click” e é um bom esforço que nos remete para o que de melhor se encontra neste género.

Muito do que apelava a jogadores em relação a estas aventuras residia nas suas histórias envolventes com personagens memoráveis, e esse é o ponto forte de Hotel Sowls. Um farmacologista descobre um artigo antigo que fala sobre uma pedra preciosa mágica e valiosa e depois de uma viagem longa, adquire a desejada pedra e decide descansar num hotel antes de voltar para casa. Rapidamente percebe que algo de muito estranho se passa naquele estabelecimento, ao ponto de durante a primeira noite alguém entrar no quarto e lhe roubar a pedra. Cabe ao jogador descobrir quem roubou a pedra e recuperá-la mas muita coisa acontece entretanto. A maneira como isto tudo acontece é bastante intrigante e deixa o jogador com curiosidade para saber o que se passa no hotel. A história dá uma série de voltas e tem um desfecho que pode surpreender muitos, o que já é merecedor de elogios.

Para cumprir o objetivo é preciso conhecer todos os empregados do hotel, falar com eles e ter atenção ao que dizem para saber o que fazer a seguir. Todos exibem um carácter e um comportamento distinto e bizarro, o que os torna memoráveis. Mesmo o hotel em si foi feito de uma maneira fácil de reter o que se encontra em cada andar e divisão. A cada evento o jogo incentiva a voltar atrás e a falar com todos os funcionários, podendo-se fazer cada vez mais perguntas ao longo do jogo, e embora a experiência não recrie exatamente a de um detetive, o mundo aqui presente é bastante interessante. Após um certo ponto na história o protagonista aprende a verdadeira natureza do hotel, ponto que constitui uma reviravolta inesperada, mas o mais interessante é que esse acontecimento pode ser uma alegoria referente a temáticas relevantes para a nossa vida. O final pode ser interpretado como uma mensagem importante para nós como seres humanos e isso é algo digno de registo.

A jogabilidade funciona tal e qual como numa aventura “point and click” convencional, embora deva dizer-se que podia apresentar algumas ideias mais originais e “puzzles” mais desafiantes. Ao longo do jogo é possível descobrir itens pelo hotel com um suposto propósito mas a maioria acaba por não ter grande utilidade. A quantidade de itens aqui presente é bastante grande e levanta a questão do porquê de tantos objetos sem propósito. Pode-se argumentar que fazem parte do ambiente, mesmo como forma de melhor apresentar o hotel como um espaço autêntico e com vida própria mas não se reflete de forma inteiramente positiva a nível da jogabilidade. A experiência é gratificante e os “puzzles” têm a sua lógica a nível de desafio requerem algo mais.

Nem todos vão gostar da apresentação de Hotel Sowls, tem aspeto de ser um jogo feito por uma equipa muito pequena e com um orçamento baixo mas eu diria que é bastante criativa e diferente de muitos jogos que vemos por aí. As personagens têm um desenho bizarro, por vezes cómico, o que faz do ambiente visual do jogo uma componente memorável, enquanto os cenários com falta de cor por vezes facilitam a procura de objetos e pontos de interesse. A música, embora algo genérica e simplista em termos de melodia, complementa o ambiente do jogo de maneira importante, especialmente nos pontos cruciais da história. É um daqueles casos onde a simplicidade resulta em favor do jogo.

CONCLUSÃO

CONCLUSÃO
Hotel Sowls pode não ser um jogo revolucionário que traga algo de avassalador capaz de reinventar um género clássico mas isso não o impede de ser um jogo de qualidade, com um enredo que pode muito bem superar qualquer expectativa sobre um simples jogo indie.
Hotel Sowls pode não ser um jogo revolucionário que traga algo de avassalador capaz de reinventar um género clássico mas isso não o impede de ser um jogo de qualidade, com um enredo que pode muito bem superar qualquer expectativa sobre um simples jogo indie.
7/10
Pontuação Final

Pontos positivos

  • História surpreendentemente boa
  • Estilo visual criativo
  • Banda sonora estabelece bem o ambiente
  • Recompensas pela atenção ao diálogo

Pontos negativos

  • Os "puzzles" demasiado simplistas
  • Muitos objetos sem propósito

João Duarte

Eu sou um amante de videojogos, que adora falar sobre o que faz um videojogo bom ou mau. Mas acima de tudo adoro entreter pessoas e fazê-las rir, por isso decidi dedicar-me a criar um canal onde posso por em prática duas das coisas que mais amo fazer.