Sherlock Holmes: Crimes & Punishments – Análise

Não há melhor personagem que encaixe no estilo de quebra-cabeças e resolução de mistérios do que Sherlock Holmes, proveniente do mundo literário pelas mãos de Sir Arthur Conan Doyle, e num tipo de jogo onde as experiências narrativas favorecem a integração do famoso detetive. Passada quase uma década desde o lançamento de Crimes &Punishments, a obra da Frogwares Games chegou no início do ano à Nintendo Switch e é a sétima entrada numa série que começou em 2002.

Há um total de seis casos para solucionar, cada um com a sua própria longevidade, mecânicas e formas de se resolver. Em comum todos têm a temática de assassinatos encobertos, contando o jogador com a ajuda do fiel companheiro e assistente Watson. A ambientação tem como pano de fundo a era Vitoriana em Londres, contrastando com um ambiente de decadência moral fielmente retratado no jogo, desde as ruas, os conflitos, à própria natureza dos crimes com que lidamos. Se o caso “The Fate of Black Peter” é retirado de uma história de Sherlock Holmes, os outros cinco são originais e entre eles encontra-se um grupo criminoso conhecido como “The Merry Men” que os liga a todos.

É comum em jogos onde desempenhamos o papel de um detetive que a experiência siga um rumo linear, com um único desfecho para cada situação. Acontece que sendo Sherlock Holmes uma personagem muito idiossincrática, isto traduz-se num ‘espaço de dedução’, onde temos de ligar pistas e informações que recolhemos para chegar a uma conclusão lógica, o que dependendo das escolhas da cada jogador pode resultar numa mão cheia de ramificações. Daqui decorre então que Crimes & Punishments apresenta uma maior profundidade quanto à forma como investigamos cada crime e descobrimos quem é o culpado, por isso não há uma escolha definitiva. Claro que certos aspetos na progressão têm de ser obrigatoriamente cumpridos, mas é de louvar a liberdade que a Frogwares Games concede aos jogadores, e que não é apenas fruto da ligação de factos e ocorrências mas também das escolhas que fazemos ao dialogar com as vítimas, testemunhas e suspeitos, bem como com os itens que apanhamos e “puzzles” que deciframos. A experiência é assim rica em escolhas e abre portas a ser jogada múltiplas vezes. No escritório de Baker Street podemos consultar livros, jornais e outros itens que permitem um maior entendimento dos elementos, algo opcional mas bastante recomendado para entender melhor o crime e chegar ao verdadeiro culpado.

Como se trata de uma experiência interativa, há um grande leque de sequências cinemáticas em cada episódio, o que é ótimo para quem gosta de entender melhor as personagens e as suas interações, com destaque para a química entre Sherlock e Watson. Embora os modelos das personagens estejam bem conseguidos (incluindo fora das sequências cinemáticas), é importante realçar que este jogo para Nintendo Switch exibe alguns problemas na forma como as personagens interagem, sobretudo a nível das expressões faciais, ficando um pouco aquém dos seus pares como L.A Noire. Encontramos também problemas de desempenho quando percorremos cenários com bastantes objetos e personagens, onde as perdas de fluidez saltam à vista, tornando o ritmo algo lento e enfadonho. Esta situação encontra-se igualmente nos controlos e é um dos pontos menos bem conseguidas nesta versão de Crimes & Punishments. A deslocação das personagens, por exemplo, dá pouca margem para movimentos mais ágeis, embora isto se note menos quando jogado no ecrã da Switch, particularmente se optarmos pela perspetiva da primeira pessoa. Relativamente às vocalizações, foi feito um grande esforço para colocar o jogador na época e a qualidade é exímia no que diz respeito às vozes e sotaque das personagens e às suas parecenças com filmes e séries de televisão da mesma temática. A banda sonora também encaixa muito bem no jogo e cria um ambiente de mistério e suspense.

CONCLUSÃO

CONCLUSÃO
8 10 0 1
Sherlock Holmes: Crimes & Punishments é um dos melhores exemplos de como transpor toda a genialidade da obra literária da personagem de Conan Doyle para um jogo. Embora com alguns problemas ao nível visual decorrente das limitações da Nintendo Switch, é um jogo que vale a pena para todos os fãs de quebra-cabeças e sobretudo para os fãs dos contos do famoso detetive. Graças ao formato é possível desvendar todos os casos e mistérios na pele de Sherlock Holmes em qualquer lado.
Sherlock Holmes: Crimes & Punishments é um dos melhores exemplos de como transpor toda a genialidade da obra literária da personagem de Conan Doyle para um jogo. Embora com alguns problemas ao nível visual decorrente das limitações da Nintendo Switch, é um jogo que vale a pena para todos os fãs de quebra-cabeças e sobretudo para os fãs dos contos do famoso detetive. Graças ao formato é possível desvendar todos os casos e mistérios na pele de Sherlock Holmes em qualquer lado.
8/10
Total Score

Pontos positivos

  • Enredo e estrutura
  • Liberdade de escolha e fuga à linearidade
  • Importância da intuição do jogador
  • Personagens caracterizadas de forma fidedigna

Pontos negativos

  • Quebras de fluidez prejudicam o desempenho visual
  • Movimentação e controlo da personagem