Chicory: A Colorful Tale – Análise

Chicory: A Colorful Tale é uma abordagem única e original aos jogos de aventuras e coloca-nos num mundo reminiscente dos contos infantis onde a cor assume um papel determinante. Após o desaparecimento repentino do pintor responsável pela colorização do nosso mundo, as cores começam também elas a desaparecer. Cabe ao protagonista do jogo desvendar o mistério e restaurar as cores ao mundo, é esta a premissa deste Chicory: A Colorful Tale.

O percurso da nossa personagem é surpreendente. Começamos o jogo como uma tímida e alegre empregada de limpeza mas à medida que o enredo se desenvolve, este assume contornos inesperados e uma profundidade digna de registo. A interação com as personagens foi escrita de forma muito interessante e incorpora marcas de humor implantadas de forma competente e que funciona muito bem, nunca ficamos com a impressão que se trata de algo forçado.

A jogabilidade é numa primeira fase bastante simples e intuitiva. Podemos optar por controlos convencionais ou utilizar um esquema de controlos tácteis, ambas as opções são igualmente bem implementadas e um ponto muito positivo a favor da versão Nintendo Switch do jogo. À medida que a nossa personagem se desenvove o seu pincel abre um leque maior de opções e permite explorar a criatividade individual de cada jogador, o que torna cada sessão de jogo única e memorável. Se a mecânica principal do jogo é colorir cenários, o enredo cativante é um argumento mais do que suficiente para manter o nosso interesse. Existem ainda missões opcionais que enriquecem a obra e recompensam a curiosidade do jogador. Os quebra-cabeças são bastante elaborados e exploram a mecânica principal da pintura de forma original e competente. O Jogador não precisa de dotes artísticos para desfrutar do que o jogo tem para oferecer, mas quem tenha queda para a pintura vai sentir-se mais recompensado.

Numa obra onde as artes assumem o protagonismo, é bom constatar que a banda sonora foi tratada com bastante brio. Trata-se de uma composição encantadora que acompanha a aventura de forma exemplar e contribui de forma determinante para o enredo.

CONCLUSÃO

CONCLUSÃO
9 10 0 1
Chicory: A Colorful Tale realiza a proeza de transformar um simples jogo de pintura numa aventura elaborada com um enredo cativante e um nível de personalização singular. Um dos jogos mais originais do ano passado, e que é possível vivenciar na Nintendo Switch com controlos tácteis e com a possibilidade de estimular a criatividade do jogador em qualquer lugar.
Chicory: A Colorful Tale realiza a proeza de transformar um simples jogo de pintura numa aventura elaborada com um enredo cativante e um nível de personalização singular. Um dos jogos mais originais do ano passado, e que é possível vivenciar na Nintendo Switch com controlos tácteis e com a possibilidade de estimular a criatividade do jogador em qualquer lugar.
9/10
Total Score

Pontos positivos

  • Jogabilidade complexa mas acessível
  • Enredo surpreendente e arrebatador
  • Uma aventura à medida de cada jogador

Pontos negativos

  • Menos atraente para quem não gosta de pintura

Sérgio Mota

Após passar grande parte da sua infância em Hyrule e no Mushroom Kingdom dedica-se agora a explorar o vasto universo digital que o rodeia. Embora seja entusiasta de novos títulos é possível encontrá-lo frequentemente a revisitar os clássicos.