Hot Wheels Unleashed – Análise

Hot Wheels Unleashed é em muitos aspetos um sonho para todos os entusiastas da gama de brinquedos da Mattel. Combinando as vertentes de colecionismo e personalização de carros com circuitos que encarnam muito bem o espírito da série, o jogo peca apenas pelos seus controlos, que são menos apurados do que se gostaria.

Começando pelo modo de jogo principal, denominado Citi Rumble, o jogador compete em corridas diferentes distribuídas por um mapa com caminhos alternativos a seguir, e cada corrida recompensa o jogador com base na sua prestação. Estes eventos vão desde corridas competitivas ao contra-relógio, de vez em quando com um “boss” que representa uma corrida competitiva num circuito com um tema específico. Mesmo sem uma grande variedade, encontra-se uma quantidade bastante saudável de eventos para completar, e dada a forma como se encontra organizada é perfeita para ser “atacado” em «sessões de jogo curtas.

As recompensas assumem a forma de moedas para que possamos adquirir carros novos e equipamento para melhorar os nossos veículos. É possível comprar os carros pretendidos diretamente por um preço mais elevado consoante a sua raridade e disponibilidade, sendo que estes rodam entre si ao fim de algumas horas. O método mais apetecível de os adquirir será através de “loot boxes”, nas quais nos pode calhar qualquer carro do jogo. Enquanto normalmente este seria um processo a evitar para a maioria dos jogadores, a grande motivação do jogo está na coleção de todos os carros disponíveis, tal como acontece com a linha de brinquedos Hot Wheels. A satisfação em obter um dos carros mais raros através deste método é genuína, e quaisquer carros repetidos podem sempre ser vendidos ou desmantelados pelo seu equipamento. É um ciclo que faz o suficiente para nunca se tornar frustrante, ponto fulcral dado o quanto a experiência geral depende disto.

A condução encontra-se entre a experiência de uma simulação e de um jogo “arcade”, pelo que muitos vão sentir alguma dificuldade durante as primeiras interações. Não só a derrapagem não é tão intuitiva como a ação da gravidade também não se faz sentir como seria de esperar. É possível que tenha sido uma opção por parte do estúdio, e culmina numa experiência que poderia ter sido bastante melhor. Felizmente é mais uma questão de hábito do que propriamente um elemento impeditivo, e eventualmente torna-se menos complicado concluir uma prova do início ao fim sem sair do percurso. É uma mecânica muito importante de dominar, uma vez que o turbo disponível aumenta consoante a qualidade de execução de derrapagens, o que naturalmente se traduz numa vantagem significativa.

Como referido, é possível gastar parte do tempo em Hot Wheels Unleashed a personalizar não só os carros, desde a cor ao aspeto físico, como também o local que rodeia cada pista – onde se incluem garagens e secções de edifícios. Seja as cores das paredes, o tipo de mobiliário ou o grau de luminosidade, todas as nossas decisões refletem-se em tempo real durante as corridas, e é possível observar os seus efeitos durante a condução. É uma componente bastante robusta, repleta de opções que apenas aumentam quanto mais tempo for investido no jogo, e uma boa opção para quem a personalização dos seus carros não baste.

Estamos ainda perante uma versão muito competente do jogo, graças a uma prestação estável quer num ecrã de televisão, quer no ecrã da Switch. Os modelos tridimensionais dos carros estão muito bem executados, todos eles com bastante pormenor, coloridos e criativos à sua maneira, representando por vezes conceitos tresloucados que assentam que nem uma luva ao tom caótico do jogo. A presença de miniaturas de modelos reais também traz pontos de legitimidade a esta conversão dos brinquedos a um formato de videojogo.

Não é certamente o jogo de corridas mais profundo ou entusiasmante no que toca à jogabilidade, mas representa os elementos principais da linha Hot Wheels na perfeição. Tendo em conta o apoio planeado para os próximos meses, este pode ser um jogo que via manter os fãs agarrados à Switch durante muito tempo, seja a explorar novas pistas, colecionar uma nova série de carros ou apenas a fazer mais uma renovação à garagem.

CONCLUSÃO

CONCLUSÃO
7 10 0 1
Um grau elevado de personalização e um número considerável de carros para colecionar fazem de Hot Wheels Unleashed um jogo digno do seu legado, e que certamente vai deliciar os fãs. No entanto, a dificuldade inicial não vai agradar a todos.
Um grau elevado de personalização e um número considerável de carros para colecionar fazem de Hot Wheels Unleashed um jogo digno do seu legado, e que certamente vai deliciar os fãs. No entanto, a dificuldade inicial não vai agradar a todos.
7/10
Total Score

Pontos positivos

  • Muitos carros para colecionar
  • Grau elevado de personalização
  • Modelos com bastante pormenor

Pontos negativos

  • Campanha pouco robusta
  • Curva de aprendizagem demasiado elevada

Diogo Caeiro

Insiste diariamente na superioridade da série Metroid Prime. Habitualmente ocupado a salvar o mundo de mais um deus irado, pausando ocasionalmente para redigir a sua próxima crónica.