Mayhem Brawler – Análise

Estreia entre os “beat’em up” da Nintendo Switch, Mayhem Brawler é a nova proposta frenética da Hero Concept que coloca o jogador no papel de três polícias diferentes numa sequência de níveis onde estes lutam contra o crime e prendem vilões. Cada sessão de jogo é composta por sete níveis escolhidos em sucessão após terminado o anterior, orientando assim o enredo de acordo com a escolha de níveis. Cada nível começa e termina com uma sequência animada que junta as convenções de uma rede social com banda desenhada. As sequências são inteiramente narradas por Star, uma das personagens jogáveis de Mayhem Brawler. Nem todos os níveis são interessantes em relação ao enredo mas a atenção ao pormenor e a qualidade da apresentação são dignas de registo, principalmente se tivermos em conta o habitual dos “beat’em ups”.

Mais apelativo do que o enredo é o mundo do jogo, repleto de inimigos e eventos, um autêntico universo de super-heróis. Desde malfeitores comuns a vampiros e mutantes, há uma abundância de antagonistas para combater que requerem estratégias específicas e uma utilização das habilidades únicas de cada personagem. Enquanto Star é veloz, os ataques de Trouble têm um alcance superior ao normal, o que lhe permite atingir inimigos que atacam à distância. Dolphin é a personagem mais poderosa do trio, conseguindo atacar vários inimigos de uma só vez.

O combate de Mayhem Brawler não é complexo mas as diferenças entre as suas personagens são suficientes para observarmos aspetos distintos na jogabilidade entre cada uma, enquanto o sistema de combos é comum a todas elas mas eficaz. A dificuldade poderia estar melhor distribuída, há algumas situações em que o ecrã se encontra cheio de inimigos frustrantes, nomeadamente quando nos deparamos com uma combinação de ataques de curta e longa distância praticamente impossíveis de bloquear. Certos adversários requerem demasiados golpes para eliminar, sobretudo os “bosses”, o que leva a confrontos mais longos do que seria desejável para um jogo desta natureza, onde o ritmo se quer frenético e constante.

Visualmente estamos perante um jogo apelativo, baseado numa direção artística reminiscente de uma banda desenhada, expressiva e repleta de personagens e inimigos de desenhos criativos e consistentes. Alguns cenários sobressaem pouco e certas animações são pouco desenvolvidas, mas nada que tenha um impacto negativo na experiência, e certamente são falhas pouco percetíveis nos locais mais movimentados do jogo.

Para além do modo de jogo principal que conta com três finais diferentes, existe ainda um modo denominado “Arcade” onde o jogador pode competir pelos melhores tempos e pontuações ao longo de sete níveis e em cinco graus de dificuldade distintos. De notar que ambos podem ser jogados a três, os restantes jogadores podem entrar de forma instantânea. Infelizmente a componente multijogador não inclui uma vertente online. Com algum trabalho adicional e um orçamento maior, uma eventual sequela de Mayhem Brawler pode tornar-se um verdadeiro peso pesado, potencial que a Hero Concept não deveria desperdiçar.

CONCLUSÃO

CONCLUSÃO
7 10 0 1
Oferecendo uma estrutura pouco convencional e um universo engraçado de explorar, Mayhem Brawler é uma proposta divertida capaz de aliciar mesmo aqueles que não seam fãs de "beat'em ups".
Oferecendo uma estrutura pouco convencional e um universo engraçado de explorar, Mayhem Brawler é uma proposta divertida capaz de aliciar mesmo aqueles que não seam fãs de "beat'em ups".
7/10
Total Score

Pontos positivos

  • Ambiente visual apelativo
  • Três personagens jogáveis
  • Finais diferentes

Pontos negativos

  • Falta de multijogador online
  • Algumas animações pouco conseguidas
  • Durabilidade excessiva de certos combates

Diogo Caeiro

Insiste diariamente na superioridade da série Metroid Prime. Habitualmente ocupado a salvar o mundo de mais um deus irado, pausando ocasionalmente para redigir a sua próxima crónica.

Subscrever
Notificar de
0 Comentários
Ver todos os comentários