Unrailed! – Análise

Unrailed! é um daqueles jogos que combina elementos de tantos géneros que se torna difícil de lhe atribuir uma categoria. Além de elementos de simulação, estratégia, e sobrevivência, este jogo pensado para multijogador e de características “rogue-like” consegue juntar tudo aquilo numa fórmula caótica, desafiante e divertida como poucos.

Iniciamos o jogo com um tutorial rigoroso que nos prepara para o desafio que se avizinha. Unrailed é uma verdadeira corrida contra o tempo e isso fica bem claro desde o início. Nada é dado como garantido e temos de ganhar a pulso o nosso direito a progredir, construindo pontes, carris, eliminado obstáculos como vegetação, animais ou características do terreno. Como se tudo isto não bastasse, o nosso comboio vai sobreaquecer e se não for regado regularmente, começa a arder em pouco tempo. Uma insanidade de tarefas simultâneas que se podem tornar avassaladoras se não forem divididas de forma organizada. E esse é o verdadeiro objetivo e ponto forte do jogo, evitar a todo o custo que o percurso da nossa locomotiva chegue ao fim numa sessão verdadeiramente caótica.

O modo intitulado de “endless” assume-se como o modo principal, onde é possível desbloquear vagões novos para a nossa locomotiva, e alarga a fórmula do jogo. Mas onde Unrailed! ganha destaque é nas suas vertentes multijogador, quer cooperativa quer competitiva. A curva de aprendizagem elevada e a especificidade do conceito podem dificultar as sessões mais simples a nível local, mas as possibilidades em rede compensam este revés. Alem disso, é possível desfrutar destes modos contra a consola, mas com as limitações que isso implica.

A vertente “rogue-like” garante uma variedade dos terrenos apresentados e um desafio constante de adaptação, desde desertos a montanhas nevadas e zonas vulcânicas repletas de lava. O ambiente visual segue um padrão simples, usando um formato de blocos para as suas construções algo reminiscente de Minecraft mas numa escala diferente. Apesar das limitações desta direção artística, a variedade é nada menos que extraordinária. A junção dos elementos é feita de forma harmoniosa e traduz tudo na perfeição. O sistema dia e noite podia ter sido melhor explorado através das tonalidades, mas acaba por se justificar pela sua influência na jogabilidade, tendo o propósito de limitar o campo visual e por conseguinte, a exploração. O jogo conta com três níveis de dificuldade, bem como recordes online para motivar os jogadores.

CONCLUSÃO

CONCLUSÃO
Unrailed! é uma experiência frenética que nos coloca no papel onde temos de evitar a todo custo que a nossa locomotiva descarrile. O grande destaque vai para a vertente multijogador, um modo divertido e caótico que acaba por ser prejudicado pela curva de aprendizagem, o que pode desmotivar as visitas lá em casa. Os mais pacientes serão recompensados com um desafio hilariante e horas inesquecíveis. Em alternativa, existe sempre uma comunidade online ou até mesmo a consola como adversário.
Unrailed! é uma experiência frenética que nos coloca no papel onde temos de evitar a todo custo que a nossa locomotiva descarrile. O grande destaque vai para a vertente multijogador, um modo divertido e caótico que acaba por ser prejudicado pela curva de aprendizagem, o que pode desmotivar as visitas lá em casa. Os mais pacientes serão recompensados com um desafio hilariante e horas inesquecíveis. Em alternativa, existe sempre uma comunidade online ou até mesmo a consola como adversário.
7/10
Pontuação Final

Pontos positivos

  • Variedade de modos e opções
  • Vertente multijogador

Pontos negativos

  • Curva de aprendizagem elevada
  • Repetitivo a curto prazo

Sérgio Mota

Após passar grande parte da sua infância em Hyrule e no Mushroom Kingdom dedica-se agora a explorar o vasto universo digital que o rodeia. Embora seja entusiasta de novos títulos é possível encontrá-lo frequentemente a revisitar os clássicos.