Card Shark – Análise

Card Shark apresenta-se de início como um livro do qual apenas podemos ver a capa, escondendo todo um mundo de ilusões para colocar o jogo a nosso favor. Um jogo de cartas em que não aprendemos as suas regras mas aprendemos como enganar e ludibriar os jogadores que o jogam.

O jogo tem uma apresentação muito pormenorizada, com uma direção artística feita de desenhos pintados à mão e que recordam as bandas desenhadas franco-belgas dos anos 80 e 90. As animações embora simples passam a mensagem pretendida sem qualquer problema. Card Shark desenrola-se em França no século XVIII, durante o reinado de Luís XV, e a história leva-nos a conhecer personagens interessantes contra as quais iremos jogar cartas. Começando em locais menos simpáticos e levando-nos eventualmente às mesas do palácio real, Card Shark apresenta-nos mais do que uma história de burlas em jogos de cartas, temos aqui uma conspiração intrigante que se vai desenrolar e revelar à medida que avançamos.

Card Shark é um jogo de dissimulação e de evasão. A cada ronda o jogo apresenta-nos truques novos ou uma combinação diferente dos truques que já aprendemos para conseguirmos colocar a mesa a favor da casa, desde marcar cartas a contar onde estará determinada carta quando as baralhamos, existem várias mecânicas à nossa disposição para garantir o nosso sucesso. O perigo de ser apanhado é constante, e falhar um truque complexo pode custar-nos a ronda. Além dos jogos de cartas, Card Shark tem mais algumas distrações para quebrar a rotina, como minijogos de esgrima ou truques de taberna como atirar cartas para um chapéu. 

Card Shark não é um jogo longo mas o conteúdo que traz é substancial, embora muitos dos truques não sejam verdadeiramente distintos mas sim uma variante de uma mão cheia de truques que mais tarde variam entre si. Existem alguns finais diferentes a que podemos assistir dependendo do nosso desempenho mas em geral a experiência é relativamente linear e não requer muito esforço para vermos tudo.

CONCLUSÃO

CONCLUSÃO
7 10 0 1
Card Shark é algo diferente. Um jogo cuja premisa reside numa vertente mais intrigante do que um simples jogo de cartas, e junta a isso uma história que nos mantém interessados para saber como esta jornada vai terminar.
Card Shark é algo diferente. Um jogo cuja premisa reside numa vertente mais intrigante do que um simples jogo de cartas, e junta a isso uma história que nos mantém interessados para saber como esta jornada vai terminar.
7/10
Total Score

Pontos positivos

  • Direção artística magnífica
  • Mecânicas variadas

Pontos negativos

  • Relativamente curto
  • Truques podiam ser mais variados

André Reis

O chicote que mantém a máquina a funcionar. Entusiasta pela indústria e com um gosto variado, mas com um especial amor por JRPG, nunca deixa escapar uma boa promoção e por consequência tem uma coleção maior do que alguma vez poderá ter tempo para a terminar.