Potion Party – Análise

Potion Party é um jogo de gestão de uma loja de poções onde controlamos um alquimista que prepara poções para os seus clientes. De relance, quem olhar para a jogabilidade de Potion Party pode facilmente identificar o estilo de jogabilidade frenética como algo inspirado no sucesso “indie” Overcooked, e não seria uma impressão errada.

A direção artística à base de “pixel art” é simples mas competente, com ferramentas bem identificadas e locais de trabalho facilmente destacados na nossa oficina. O ciclo de jogabilidade de Potion Party é simples: cultivar plantas de certa cor para criar ingredientes, juntar as cores necessárias para criar a poção com a cor correta, e vender ao cliente. A partir desta premissa, o processo de fabrico das poções complica-se lentamente para incluir outros tipos de ferramentas e processos.

Infelizmente este também é o único processo em Potion Party. Toda a ação do jogo decorre no mesmo ecrã, com a mesma música repetida de forma contínua e fora a personalização da loja para organizar o espaço como melhor nos convém, pouco mais existe no que diz respeito a algum desafio diferente. Outro ponto relevante é a falta de acessibilidade quanto ao ajuste de cores para o daltonismo. Para quem não consegue identificar certas cores, Potion Party não oferece nenhuma forma de distinguir as poções de forma alternativa, nem forma de ajustar as cores já existentes. É também possível jogar com mais pessoas em modo cooperativo local, mas a experiência acaba por ser praticamente igual. O que o jogo nos traz é engraçado, mas acaba por ser um jogo divertido apenas por breves momentos de cada vez.

CONCLUSÃO

CONCLUSÃO
5 10 0 1
Potion Party é um jogo pequeno com pouca variedade, mas que acaba por oferecer alguma diversão num curto espaço de tempo. É bastante engraçado se for jogado em momentos breves, mas não avança no que diz respeito ao nível de dificuldade ou à complexidade das ações, acabando por ser muito limitado pelo sistema de cores.
Potion Party é um jogo pequeno com pouca variedade, mas que acaba por oferecer alguma diversão num curto espaço de tempo. É bastante engraçado se for jogado em momentos breves, mas não avança no que diz respeito ao nível de dificuldade ou à complexidade das ações, acabando por ser muito limitado pelo sistema de cores.
5/10
Total Score

Pontos positivos

  • Ambiente visual engraçado
  • Personalização do espaço

Pontos negativos

  • Apenas uma faixa de música de fundo
  • Reduzida acessibilidade
  • Falta de variedade

André Reis

O chicote que mantém a máquina a funcionar. Entusiasta pela indústria e com um gosto variado, mas com um especial amor por JRPG, nunca deixa escapar uma boa promoção e por consequência tem uma coleção maior do que alguma vez poderá ter tempo para a terminar.